quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Vídeo onde o Secretário Joab Soares apresenta os problemas do Hospital Regional para os vereadores

Secretário de Saúde de Iguatu pede ajuda aos vereadores

A Câmara Municipal de Iguatu recebeu na tarde desta terça-feira, o Secretário de Saúde Joab Soares, que apresentou informações de como está a atual situação da saúde em nosso município, números que comprometem a compra de medicamentos e prejudica o atendimento à população, para piorar a situação a conta de luz do Hospital Regional não mais será paga pelo governo passando a ser mais um ônus para o município de Iguatu, durante a sessão vereadores ficaram revoltados com o laudo apresentado pelo secretário determinando assim uma ação conjunta para reivindicar a solução para este problema, na entrevista que você irá ler em seguida, números de uma dívida que o estado possui com a saúde de Iguatu que chega em torno de R$313 mil reais surpreende e explica o verdadeiro caos que vive o Hospital Regional.

Alex: Você apresentou números preocupantes da Saúde em nosso município?

Joab: Esta nossa preocupação é voltada para a assistência farmacêutica, sendo mais específico, com relação aos medicamentos da atenção básica e os medicamentos e do componente estratégico que a gente chama de hiperdia, são medicamentos que existe uma contra partida, uma participação dos três poderes municipal, estadual e federal, onde dá no montante ano em torno de 416 mil reais da atenção básica mais 190 mil em medicamentos do hiperdia dando algo em torno de 600 mil reais em medicamentos ano, distribuído de uma forma estratégica em quatro trimestres a serem repassados pela Secretaria de Estado, ou seja, a contra partida do município em torno de 11 mil que é descontado todo mês pelo estado mais o repasse do governo federal, mais a contra partida do estado foi todo decidido em conjunto com os demais municípios do estado em fazer uma compra única, visando a compra do medicamento ao menor custo, tendo em vista a grande compra de medicamentos pelo governo o preço cairia bastante.

Alex: O que ficou decidido na reunião com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde em Fortaleza, no último dia 26 de outubro?

Joab: Nesta reunião o meu Sub-Secretário de Saúde Drº Wellington, levantou este questionamento, a preocupação que estamos tendo em vista que o estado está nos devendo em repasse de medicamentos em torno de R$181,800. 00 que ele terá que repassar neste último trimestre, mas ainda acrescido ao repasse irregular do trimestre anterior que é interno de R$131,000. 00 quer dizer a preocupação que estamos tendo , se o estado até agora não pode repassar os medicamentos que nós programamos de forma sistemática e regular , terá o estado condições de repassar em termo de Iguatu R$313 mil reais nestes últimos três meses? Esta é a nossa maior preocupação neste momento.

Alex: E o que está acontecendo na saúde em Iguatu e especificamente no Hospital Regional neste momento coma falta deste dinheiro?

Joab: Quando você tem uma programação para comprar em torno de R$104 mil que você recebe R$45mil vai faltar o medicamento, o estado tem repassado o medicamento, mas em quantidade muito pequena, nós temos patologias que estamos deixando em aberto, como osteoporose, hipertensão, doença de Parkinson, os próprios antidepressivos, os anticoncepcionais orais então estamos tendo uma dificuldade grande, a população tem nos cobrado, é motivo de reivindicação permanente do cidadão Iguatuense para medicamentos de atenção básica e nós não estamos passando esta angustia, dividindo estes problemas com a comunidade, então chega o momento que agente tem que dividir tem que passar e tem que cobrar uma justificativa uma oposição junto ao estado, e ainda nos preocupou bastante quando na reunião do Cosen quando foi questionado e foi levantado este problema e pedido uma justificativa a Drª. Emília que é do núcleo da assistência farmacêutica, ela disse que não tinha como resolver, tendo em vista dependendo dos fornecedores que ganharam a licitação vão estar entregando o medicamento, mas a de convir que o volume financeiro é muito grande e agente não está tendo o repasse e o compromisso social de dar este retorno assistencial que agente está se propondo.

Alex: E você compareceu à Câmara Municipal de Iguatu pedindo ajuda para acabar com esta situação.

Joab: Esta é uma situação que pode ficar apenas internamente no nível da secretaria, tendo em vista a co-responsabilidade, com os demais órgãos da administração, o poder legislativo e o poder judiciário, tendo em vista em momentos anteriores nos foi cobrado posições em relação a instituições como o Hospital Regional e até mesmo em relação à Secretaria de Saúde, não é raro a gente receber na Secretaria de Saúde, determinação judicial para que a gente dê medicamento, e muitos destes medicamentos estão inseridos nestes que estão faltando hoje, tendo em vista como exemplo o hiperdia, são medicamentos de última linha em hipertensão e diabetes, medicamentos que agente sabe que a resposta terapêutica para o paciente é de grande monta.

Alex: Para piorar a situação a luz do Hospital Regional que não mais será paga pelo governo.

Joab: Na sexta-feira passada, 26 de outubro, fui surpreendido com a comunicação do administrador do Hospital Regional de que a energia estava sendo cortada naquele momento para acontecer um desmembramento entre a energia do Regional e a energia do Hemoce, eu sem saber perguntei ao técnico que estava executando aquele ato e ele me respondeu que o Hemoce seria uma conta do estado e o Regional pago pela Prefeitura, uma coisa que nos surpreende bastante tendo em vista esta energia já vinha sendo feita a parceria com o estado para o mesmo subsidiar há doze anos de funcionamento do Hospital Regional, então porque que isto aconteceu agora?, é uma preocupação tendo em vista que o Regional tem uma estrutura imensa com equipamentos caros de alto consumo de energia a gente acredita que algo em torno de 30 mil reais, é uma conta de energia que não é barata, entre as dificuldades que nós já temos, que o estado ta vendo que a gente está correndo atrás de recursos para subsidiar o hospital e a gente é surpreendido com a atitude desta, e mais grave sem a gente ter tomado conhecimento previamente de que isto iria acontecer.

Alex: Quantas pessoas são atendidas diariamente no Hospital Regional?

Joab: Temos um volume de 450 pessoas/dia são atendidas no Regional, é um hospital que é reconhecido à nível de estado e secretaria, já que participei em algumas reuniões como gestor de hospital pólo, e a gente percebe a importância que o Regional possui, perante o governo, então nos surpreende tais medidas estarem acontecendo que a gente não sabe de onde parte e com que objetivo parte, nós fomos recentemente reivindicar apoio no governo federal com o Secretário de Estado o Drº João Ananias, mas quando a gente consegue estes recursos somos surpreendidos com este problema da energia. E a nossa preocupação é que o Hospital Regional hoje é um órgão que gera receita, mas ele não tem o recurso passado diretamente, depende do repasse do tesouro municipal que hoje investe em mais de 30% em saúde, depende de um repasse do governo estadual e federal, e a COELCE que é uma instituição particular no dia em que atrasar a energia, ela pode muito bem cortar a energia do Regional, quer dizer por que o estado não pode continuar com esta parceria subsidiando a energia não só para o município de Iguatu, mas para os 450 pacientes/dia, para os 300 mil habitantes que utilizam aquele hospital, mas não, enquanto que nos dá uma ajuda de 30 mil para profissionais, 20 mil para a policlínica, tiram a energia para que o município absorva mais este ônus, a conta é do hospital não é da Prefeitura Municipal, faço um apelo as autoridades que revejam esta decisão, sejam mais uma vez nossos parceiros, sei que este valor é pequeno para o estado, mas de grande valor causando dificuldades em o nosso município.

Iguatu produz 40 mil litros de leite diariamente

Da esquerda para a direita, o tesoureiro da UPECI, João Mauro, o Secretário de Agricultura de Iguatu, Valdeci Ferreira e o presidente da UPECI, Amaury Carneiro

Acompanhamos na noite desta terça-feira, no SEBRAE, a reunião da UPECI (Unidade Pecuarista Iguatuense), onde vários criadores de gado leiteiro do nosso município se reuniram para debater sobre os informes da entidade e também sobre a crise do leite em nosso país. Uma das ações em destaque desta entidade afirma o seu presidente, Amaury Carneiro, é a compra de farelo de soja, medicamentos e vacinas com um desconto acima de 20%. Na próxima quinta-feira, alguns sócios da UPECI, estarão visitando em Quixeramobim, o plantio de um novo tipo de palmas adensada e irrigada. Questionamos o presidente Amaury Carneiro sobre a situação do leite em nosso município e o mesmo respondeu ao Blog de Iguatu “aqui são produzidos diariamente 40 mil litros de leite, dos quais 17 mil são produzidos pelos nossos sócios” afirmou o mesmo, outra informação interessante para os nossos internautas é de que todo o leite produzido em Iguatu é vendido para duas empresas, Betânia e Maranguape. Em relação à crise do leite o presidente da UPECI, Amaury Carneiro, destaca a seguinte situação “a fiscalização já acontece, mas sem dúvidas no futuro ela será mais rígida e o melhor produto permanecerá no mercado” prevê Amaury. Para finalizar perguntamos sobre a qualidade do leite em Iguatu e Amaury Carneiro foi direto em responder que “acredito que noventa por cento, de toda a produção em nossa entidade é boa, mas como afirmei anteriormente, com uma fiscalização mais rígida, chegaremos aos cem por cento” finalizou. As reuniões da Unidade Pecuarista Iguatuense acontecem sempre às terças-feiras, 19 horas no prédio do SEBRAE, mais informações pelo e-mail upeci@hotmail.com.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails