sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Ciro Gomes e Michel Temer continuam fora das decisões da campanha de Dilma

Quando o comando da campanha de Dilma Rousseff foi surpreendido pelo resultado das urnas no primeiro turno — determinando a realização do segundo turno –, foi opinião quase unânime entre os aliados da candidata que a campanha estava excessivamente centralizada nos petistas Antônio Palocci, José Eduardo Dutra e José Eduardo Cardozo.
O PMDB foi chamado, os governadores e senadores eleitos também, os demais partidos da base governista… E foi anunciada a ampliação do comando da campanha.
Passados dez dias do susto, o que os aliados estão notando é que pouca coisa mudou. Os três petistas continuam centralizando o controle das decisões. Apenas o presidente Lula passou a dar mais pitaco.
Mas Ciro Gomes (PSB) e Michel Temer (PMDB), por exemplo, continuam falando por conta própria, sem participação ativa no comando.
Os aliados já começaram a deixar o barco rolar, na expectativa de que,  com as próximas pesquisas, PT e Dilma voltem a pedir socorro.
Mas no Rio Grande do Sul, por exemplo, o PMDB já decidiu recomendar o apoio a José Serra. E em Minas Gerais, Aécio Neves ameaça levar os peemedebistas para o ninho tucano.

Poder Online

Lula pede para Cid Gomes parar de fumar

Durante comício ontem em Teresina, o presidente Lula saudava os presentes no palanque de Dilma Rousseff, como os governadores Jacques Wagner (PT-BA) e Cid Gomes (PSB-CE),  quando percebeu a falta do segundo. Arrancando risos da militância, o presidente deduziu:
– Você tá fumando escondido, Cid? Faça como eu, pare de fumar!”, disse o presidente, que largou o vício desde o começo do ano.

Movimento Sem Terra divulga carta de apoio a Dilma Rousseff

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), juntamente com o a Via Campesina Brasil, divulgou nesta sexta-feira (15) um manifesto intitulado "Vamos eleger Dilma Rousseff presidenta do Brasil", de apoio à candidata do PT no segundo turno da eleição.

Os movimentos sociais afirmam que, no primeiro turno, atuaram com o objetivo de "lutar para que não houvesse a vitória eleitoral de uma proposta neoliberal, representada pelo candidato do PSDB, José Serra."

De acordo com o manifesto, os "avanços do governo Lula em direção a propostas democrático-populares defendidas pelo MST e Vila Campesina Brasil foram insuficientes".

O documento diz que causa "preocupação" o arco de alianças da candidatura Dilma Rousseff, "com forças políticas que se contrapõem a essas demandas sociais".

Mas julgam o candidato José Serra um "inimigo" devido ao "caráter anti-democrático e anti-popular dos partidos que compõem sua aliança eleitoral e por sua personalidade autoritária."

"Precisamos derrotar a candidatura Serra, que representa as forças direitistas e fascistas do país", diz o manifesto.

Psol oficializa posição no 2º turno; Plínio declara voto nulo

O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) definiu, nesta sexta-feira (15), durante executiva nacional, a sua posição diante do segundo turno das eleições presidenciais. A decisão divulgada pelo secretário geral do Psol Afrânio Boppre, depois de uma reunião de três horas, foi a de recomendar aos militantes do partido o voto nulo ou um "voto crítico" em Dilma Rousseff (PT). Em comunicado, o partido recomenda ainda "nenhum voto em Serra", o candidato do PSDB. De acordo com o deputado Ivan Valente, não se trata de apoio ou coligação a qualquer candidato, mas sim declaração de voto.
O candidato derrotado à presidência, Plínio de Arruda Sampaio, afirmou que votou a favor da decisão majoritária do partido, mas declarou voto nulo. "Eu vou votar nulo, eu e vários aqui". O socialista escreveu nesta sexta-feira um manifesto à nação no qual agradece o apoio a ele durante as eleições e pondera as atitudes dos dois candidatos na disputa.
"O candidato José Serra representa a burguesia mais moderna, mais organicamente ligada ao grande capital internacional, mais truculenta na repressão aos movimentos sociais. (...) A candidata Dilma Rousseff é uma incógnita. Se prosseguir na mesma linha de seu criador - o que não se tem condição de saber - o tratamento aos movimentos populares será diferente: menos repressão e mais cooptação".
Apesar de Plínio de Arruda ter declarado voto nulo, a bancada eleita do Psol optou pelo voto crítico à Dilma Rousseff.

Terra

Coordenadores do Iguatu Natal de Luz vão até Santa Catarina


 Manoel Jorge e Demir Amorim

A Prefeitura Municipal de Iguatu não para. Após o sucesso que está sendo a Cidade da Criança que bate a cada dia recordes de público. Os preparativos para o Iguatu Natal de Luz tiveram início. Neste final de semana o coordenador geral do evento, Demir Amorim e o seu auxiliar, Manoel Jorge, mais conhecido como o “Joãozinho Trinta “ de Iguatu estarão viajando para a cidade de Joinvile em Santa  Catarina para observarem os melhores produtos natalinos que deverão compor toda a ornamentação do evento em nosso município. “ Iremos observar tudo que existe de mais moderno em ornamentação natalina e que é utilizado nos grandes eventos de Gramado e demais cidades do sul do país” disse Demir Amorim.
Lembrando que para este ano o Iguatu Natal de Luz contará com a participação do maior nome da música gospel que é a cantora Aline Barros e também do Padre José Maria.   

Fonte: www.iguatu.net

Show da Carla Perez na Cidade da Criança em Iguatu

País deve economizar pelo menos R$ 80 milhões com horário de verão

O horário de verão que começa à meia-noite do próximo sábado, 16, deve gerar uma economia de pelo menos R$ 80 milhões para o país, sem contar os recursos que deixarão de ser investidos na capacidade de geração de energia.
No período, a redução da demanda evitará investimentos em termos de capacidade de cerca de R$ 2 bilhões. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 14, pelo diretor-geral do Operador Nacional do Sistema (ONS), Hermes Chipp, no Rio.
“Em função do esvaziamento da carga vamos gerar menos térmicas nas regiões Sudeste e Sul”, afirmou o diretor-geral ao se referir a essas usinas, consideradas mais poluentes.
O horário de verão se estenderá até o dia 20 de fevereiro. Segundo Hermes Chipp, no período, o horário de maior consumo de energia passará das 18h às 21h para o das 19h às 22h.
Com mais uma hora de luz natural, a expectativa é que a demanda por eletricidade caia entre 4,6% e 5%, percentual suficiente para abastecer 70% da cidade do Rio.

Hora da reza ?

Pesquisas mostram início de possível onda pró-Serra

Do blog de Fernando Rodrigues


As 4 pesquisas divulgadas até agora sobre a disputa pelo Palácio do Planalto mostram a formação de uma possível onda pró-José Serra (PSDB). Ainda serão necessárias outras sondagens para qualificar o solavanco sofrido por Dilma Rousseff (PT), mas é nítido que neste segundo turno a petista perdeu “momentum”.

Eis um resumo das 4 pesquisas já divulgadas neste segundo turno:

* CNT/ Sensus (11-13.out) – Dilma 46,8% X 42,7% Serra (diferença entre ambos: 4,1 pontos) (margem de 2,2 pontos percentuais)

* Ibope (11-13.out) – Dilma 49% X 43% Serra (diferença entre ambos: 6 pontos) (margem de 2 pontos percentuais)

* Vox Populi (10-11.out) – Dilma 48% X 40% Serra (diferença entre ambos: 8 pontos) (margem de 1,8 ponto percentual)

* Datafolha (8.out) – Dilma 48% X 41% Serra (diferença entre ambos: 7 pontos) (margem de 2 pontos percentuais)

Essas pesquisas não são comparáveis por serem realizadas com metodologias diferentes. Mas é possível dizer 1) todas apontam uma diferença sempre abaixo de 10 pontos entre Dilma e Serra e 2) a diferença entre a petista e o tucano parece se estreitar cada vez mais.

Dá para dizer que uma virada vai acontecer? Não, não dá. Mas seria temerário agora fazer qualquer tipo de prognóstico.

Ao que tudo indica, tem surtido efeito a estratégia tucana de comparar biografias e de atrair o eleitorado mais conservador.

Do seu lado, Dilma tem mostrado pouco o presidente Lula em suas propagandas. Só quando ela apareceu intensamente ao lado do seu padrinho político é que registrou altas nas pesquisas durante o primeiro turno.

Mas agora paira uma dúvida sobre a equipe de campanha petista: não se sabe se a imagem presidencial funcionaria mais como um remédio ou um veneno –ao reforçar a percepção de que a candidata governista não consegue andar com as próprias pernas.


Fotos do show da Carla Perez na Cidade da Criança em Iguatu

Ronaldo cancela jantar com Dilma Rousseff

O atacante corintiano Ronaldo cancelou o jantar que havia planejado com a candidada do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff.
Inicialmente marcada para esta quinta-feira, a "sabatina" promovida por Ronaldo em sua casa, na capital paulista, teria a presença de jogadores de futebol e jovens empresários. Houve o adiamento para a noite de sexta-feira, segundo informou a coluna de Mônica Bergamo na Folha.

Mas, em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, o atacante do Corinthians anunciou o cancelamento.
"Tinha reforçado o convite a Dilma para este segundo turno, mas, como vocês podem ver, a campanha está pegando fogo para os dois lados. Então não vai acontecer o jantar. Deixando claro mais uma vez que não apoiei, não deixei meu voto a nenhum dos candidatos. Eu só queria mesmo era saber dos projetos para a minha classe, que apesar de todos acharem que é uma classe favorecida, é uma classe abandonada. Só 3% dos jogadores ganham mais de R$ 10 mil, é muito pouco", afirmou Ronaldo.
Procurada pela Folha.com, a assessoria de imprensa da candidata confirmou existir um "problema de agenda" em relação ao jantar, "o que não significa que não possa acontecer até o final do segundo turno", completou.
No primeiro turno das eleições, o atacante corintiano recebeu o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, em sua casa, junto a outros jogadores do Corinthians.
"Eu reuni alguns companheiros e ofereci um jantar ao Serra, no qual fizemos uma "mini-sabatina" com ele. E foi ótimo, porque ele respondeu nossas dúvidas em relação ao esporte, a projetos futuros para nossa classe, e foi incrível. Desde então, a gente tentou também com a Marina Silva (PV) e com a Dilma. Em campanha, a agenda é feita com muita antecedência, eu compreendo", completou o atacante corintiano, que disse ter pensado apenas por um segundo em um possível cargo de Ministro do Esporte.
"Imaginei um segundo e voltei correndo para cá (Corinthians). Não seria um cargo político, seria técnico, então acho que poderia ajudar muito o esporte, mas não sei quantos dias tem que trabalhar um ministro, não sei essas coisas. Mas também não houve convite, nem eu me ofereci", concluiu Ronaldo.

Folha

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails