terça-feira, 30 de novembro de 2010

Lula atende pedido da presidente Cristina Kircher

Lula tinha programado se despedir de viagens internacionais em Georgetown, na Guiana, para onde foi na semana passada. Mas, atendendo a um apelo de Cristina Kircher, presidente da Argentina, decidiu desembarcar em Mar del Plata nesta sexta para a 10ª Conferência Ibero-americana.

Painel

Sistema de esgotamento sanitário beneficia população de Crateús


A população de Crateús, no Sertão de Crateús, está sendo beneficiada com as obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário no município. O investimento é de R$21,6 milhões, oriundos do Governo do Estado, BID e Governo Federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). As obras beneficiam um total de 29.655 habitantes. Com a medida, Crateús tem seu sistema de esgotamento sanitário dobrado.
O empreendimento conta com duas estações elevatórias de esgoto, estação de tratamento, 59.302 metros de rede coletora e mais de 6.911 ligações prediais, o dobro das anteriores.
Com a finalização da ampliação do esgotamento sanitário, cerca de 75% da população do município está sendo beneficiada pelos serviços da Cagece. Crateús ainda receberá uma terceira etapa do sistema de esgoto, que está em fase de execução de projetos.

Governo do Ceará

OPINIÃO: forças do bem

A revoada de bandidos apavorados em fuga e a prisão de líderes acovardados podem ir além do espetáculo das imagens televisionadas? Podem servir para desfazer o retrato mitificado dessas criaturas? Estilhaçar o seu glamour de "vencedores", de endinheirados e poderosos? Tomara que sim. Traficantes "bem sucedidos" não podem continuar como referência positiva para adolescentes e crianças de comunidades sem outros modelos de vida "recompensadores".
Exemplar o cerco e a retomada de território no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Em vez de um confronto armado violento com vítimas inocentes, manobras planejadas com inteligência. Esforços conjuntos e apoio logístico para a missão traçada. Sem hipocrisia: uma situação de guerra é uma situação de guerra. O poder do estado enfrentou legitimamente o poder paralelo dos traficantes; guerreou com uma estratégia, com um código de ética e protegeu os civis. Era tempo.
O Complexo do Alemão não é uma favela num pedaço de encosta que se avista num único olhar. São muitas favelas interligadas que se estendem por cinco bairros suburbanos: Penha, Inhaúma, Olaria, Ramos e Bonsucesso. Bairros tradicionais e agradáveis antes do poder público permitir a ocupação desordenada de seus espaços vazios, deixando-os sem lei... Nem beira. Perderam até empresas e indústrias que partiram em retirada, abandonando seus galpões ao léu.
O casario clandestino se replicou na região. Ramificou-se criando um labirinto de ruelas e becos numa área ondulada, pontuada de elevações, encostas e grotas que passou a ser habitada por milhares de pessoas. Área que se transformou numa "cidade" intensamente povoada, mas desprovida de serviços urbanos: propícia para um reduto do tráfico de drogas.
No final de semana, a maior parte dos cariocas ficou de prontidão. Tensa. O Complexo do Alemão seria invadido por policiais civis, militares e federais; por fuzileiros navais e paraquedistas, numa operação com blindados das Forças Armadas. Quanto mais informação, mais angústia.
Por que tanta angústia? Porque havia o temor do Rio se transformar em palco de uma carnificina. E se a estratégia policial não desse certo? Se os bandidos, mesmo cercados, resistissem? Reagissem com alguma tática surpreendente?
Não dava para esquecer a "megaoperação" montada em junho de 2007, para invadir o mesmo Complexo do Alemão. Daquela vez houve a participação de policiais civis, militares e soldados da Força Nacional. O objetivo era atacar o refúgio, tomar o paiol de armas e munição, desarticular o centro de distribuição de drogas. A "megaoperação" terminou com 19 mortos e 13 pessoas feridas; entre elas sete vítimas de balas perdidas, como uma estudante que estava na escola e uma criança.
Desta vez, a maior diferença foi a aprovação popular entusiasmada com a superioridade de aparelhamento, que dava sentido à invasão para a retomada do território. Sobretudo os blindados da Marinha com suas "lagartas", os do Exército e os veículos do Bope. Havia a brigada paraquedista, os agentes das polícias Federal, Militar e Civil. Eram mais de dois mil homens em ação. E os moradores os ajudavam por meio do disque-denúncia e do jeito que podiam.
Para quem não costuma transitar pelas ruas do Rio, principalmente aquelas além dos limites da nobre Zona Sul, deve ser difícil entender a emoção de quem viu e sentiu as chamadas "forças do bem" triunfarem. Porém, é bastante simples. Quem mora longe do trabalho e batalha muito para criar os filhos, enxerga o "mal" naquilo que possa desgraçar sua família.

Ateneia Feijó é jornalista

Lula manda repórter se calar após pergunta sobre Sarney

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se irritou nesta terça-feira ao ser questionado se agradeceria à "oligarquia Sarney" pelo apoio dado durante seu governo.
Na cerimônia que marcou o fechamento simbólico da primeira de 14 comportas da Usina Hidrelétrica Estreito, no Maranhão, erguida ao custo de R$ 4 bilhões na divisa do Maranhão com o Tocantins, estavam presentes a governadora Roseana Sarney (PMDB), e o aliado e ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (PMDB-MA).
Lula recomendou que o repórter [Leonêncio Nossa, do jornal O Estado de S. Paulo], autor da pergunta, fizesse "psicanálise".
"Eu agradeço [aos Sarney], e a pergunta preconceituosa sua é grave para quem está há oito anos comigo em Brasília. Significa que você não evoluiu nada do ponto de vista do preconceito, que é uma doença. O presidente Sarney é o presidente do Senado. E o Sarney colaborou muito para que a institucionalidade fosse cumprida. Você devia se tratar, quem sabe fazer psicanálise, para diminuir um pouco esse preconceito."
Roseana ainda disse que a pergunta demonstrava "preconceito contra a mulher".

Noblat

34 policiais militares (incluindo oficiais) são denunciados por receber Bolsa Família em Alagoas

Informativo que está sendo distribuído à imprensa (release) pela Polícia Militar de Alagoas:

Na tarde desta segunda-feira, 29, foi entregue ao Comandante Geral da PMAL, Cel Dário Cesar, uma relação de Policiais Militares, que têm filhos matriculados no Colégio da Polícia Militar Tiradentes (CPM), e recebem irregularmente o benefício do Bolsa Família do Governo Federal.
Na relação constam oficiais e praças, que burlam abertamente os critérios para a percepção de tal benefício, o grupo é composto por 34 policiais militares, podendo ainda existir mais gente envolvida no esquema.
O Bolsa Família é destinado aos alunos dos 06 aos 15 anos, que percebem até 01 salário mínimo, e estão abaixo da linha de pobreza, e possuam 85% de presença na sala de aula. Situação que não se encontra nenhum militar estadual. O valor da Bolsa é aproximadamente R$.100(cem reais).
O fato foi descoberto, quando a nova diretora do CPM, Ten Cel Maria de Fátima, iria encaminhar a relação dos beneficiários do trimestre para a Secretaria de Estado da Educação, e constatou com estranheza os nomes dos oficiais na citada lista.

VÍDEO: Ednaldo Lavor e o Sec. Paulo Hélter acompanham construção de ginásio em Alencar

Ednaldo Lavor e o Secretário Paulo Hélter diante do Ginásio Poliesportivo do Alencar

Na manhã desta segunda-feira, 29, o Distrito do Alencar recebeu a visita do Secretário de Esporte e Juventude de Iguatu, Paulo Hélter que acompanhado pelo Presidente da Câmara, Ednaldo Lavor, visitou o local onde está sendo construída a Quadra Poliesportiva do Alencar. A obra está em pleno andamento e promete ser um dos principais centros esportivos da cidade e região, “ recebi o convite do vereador Ednaldo Lavor, para visitar as obras deste local e prontamente aprovei a idéia, a construção está seguindo todas as normas corretas para a prática do esporte e teremos aqui nos próximos meses um dos principais centros esportivos do interior do Ceará” disse o secretário.
Para o Presidente da Câmara, Ednaldo Lavor, a quadra poliesportiva será mais que um ponto esportivo, “ pela estrutura que estamos recebendo, aqui teremos uma área de combate aos males que afligem os nossos jovens, aqui será praticado o esporte e automaticamente teremos o combate às drogas, o álcool, nesta quadra a juventude terá a possibilidade de ter o contato o esporte e quem sabe poderemos até descobrir grandes valores do futsal e tantas modalidades. Só temos que agradecer ao prefeito Agenor Neto que demonstra na sua gestão o carinho que o mesmo sente pelo nosso distrito, colocando o maior número de investimentos em obras da história da nossa região, isto é trabalho, isto é respeito pelo povo do Alencar” finalizou.
Vejam as imagens de como está avançada a construção da Quadra Poliesportiva que será um belo palco esportivo no Distrito.

OPINIÃO: Cadê o meu, pergunta o PMDB?

Presidente eleita, Dilma Rousseff começa a enfrentar sua maior dor de cabeça na montagem de sua equipe ministerial. Definir o espaço do PMDB em seu futuro governo. Os peemedebistas estão inquietos e desconfiados. Até aqui, ouviu mais falar em perdas do que em ganhos ministeriais. Sua fatia de poder cairia de seis para três pastas, confirmadas as articulações em curso da equipe dilmista.
Uma equação totalmente desfavorável para quem decidiu se aliar formalmente ao PT, indicar o vice da chapa e entregar um belo tempo de TV para Dilma Rousseff. Tanto que as queixas foram encaminhadas aos ouvidos da presidente eleita, que agendou reunião com seu vice, Michel Temer, presidente do PMDB e da Câmara dos Deputados.
O primeiro passo de Dilma para tentar acomodar o PMDB já foi dado. A presidente eleita sinaliza que pode deixar de lado seu desejo de colocar um nome de referência técnica, altamente qualificado, no Ministério da Saúde. Abandonaria a ideia de retirar a pasta do rateio político e a colocaria no seu comando um peemedebista ligado ao governador Sérgio Cabral (RJ).
Com isso, espera também baixar a temperatura interna dentro do próprio PMDB. Cabral resiste à nomeação de Moreira Franco para o Ministério das Cidades, uma indicação do vice Michel Temer. Pode mudar de posição se colocar na Saúde um nome ligado a ele. O mais falado é o de Sérgio Côrtes, seu secretário de Saúde.
Na equipe de transição, o que se diz é que, sobrevivendo ao sereno, Cortês tem tudo para emplacar. Traduzindo. Se não surgirem novas denúncias contra ele, que possam comprometer seu caminho, ele vira ministro da Saúde.
Por enquanto, o PMDB tem garantidas as pastas da Agricultura e Minas e Energia. Sonha e tem a promessa de comandar o Ministério das Cidades. Perderá o da Integração Nacional e o das Comunicações. Pode ficar com a da Saúde e manterá um que ele não contabiliza como seu, Defesa, com a manutenção de Nelson Jobim no posto.
Essa, porém, é a apenas a primeira das batalhas. A guerra vai prosseguir. Definidos os ministérios, há ainda toda distribuição das presidências e diretorias das principais estatais. O PMDB comanda uma boa parte do setor elétrico, manda na Transpetro, ocupa os Correios e tem na sua esfera de poder a Funasa, entre tantos outros cargos. Essa segunda batalha não ganha tanto destaque na mídia, mas é encarada pelos parlamentares, muitas vezes, como mais importante do que muito ministério pelo poder de fogo nas suas regiões.
Ou seja, o tempo é curto, falta apenas um mês para a posse de Dilma Rousseff, e ela tem pela frente muitos obstáculos para transpor.
Por Valdo Cruz

Campanha de Serra à Presidência tem dívida de R$ 9,6 milhões


A campanha de José Serra (PSDB) à Presidência deixou um rombo de R$ 9,65 milhões para o PSDB quitar. O PT, que não havia divulgado até as 18h de ontem o balanço de receitas e despesas, há uma semana tentava reduzir à metade a dívida de cerca de R$ 20 milhões da campanha de Dilma Rousseff.
O custo total desta eleição já é 42% maior se comparado ao de 2006, mesmo sem as contas finais de Dilma, Serra e dos 18 candidatos a governador --que têm até hoje para entregar o balanço ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Sem a contabilização de dados do segundo turno, as eleições proporcionais mais caras ocorreram em Roraima onde os candidatos investiram em média R$ 96,30 por eleitor.
São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro foram os Estados que mais gastaram, em valores absolutos, para eleger seus representantes.
Os três maiores colégios eleitorais do país também foram os que tiveram maior número de candidatos. O custo do voto em São Paulo foi de R$ 15,91; em Minas de R$ 23,18 e, no Rio, R$ 18,26.
Os 16.683 políticos que prestaram contas ao TSE declararam uma despesa total de R$ 2,7 bilhões, média de R$ 20,41 por voto. O levantamento excluiu despesas de quem disputou o segundo turno e dos comitês financeiros de campanhas e partidos.
Neste ano, o gasto total das campanhas para presidente, governador, senador, deputado federal e estadual ultrapassará os R$ 3 bilhões.
Em 2006, os candidatos gastaram cerca de R$ 1,9 bilhão e, em 2002, as despesas ficaram em R$ 1,1 bilhão, valores corrigidos pelo IPCA.
Os gastos de Serra, orçados inicialmente em R$ 180 milhões, se aproximaram dos R$ 120 milhões, de acordo com Márcio Fortes, um dos responsáveis pela contabilidade do tucano. O maior volume de despesas foi relacionado à comunicação da campanha.
A dívida de R$ 9,65 milhões é bem menor do que a herdada da campanha de Geraldo Alckmin à Presidência em 2006, que terminou com deficit R$ 19,5 milhões --valor já quitado.
A estimativa de gastos da campanha de Dilma era, na semana passada, de R$ 170 milhões. O teto era de R$ 191 milhões.

Folha

43 municípios cearenses contestam dados do Censo

43 municípios cearenses contestaram os dados do Censo 2010, divulgados nesta segunda-feira, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). O levantamento apontou uma população cearense de 8.448,055 milhões de habitantes, o que representa um crescimento de 13,69%, se comparado com a última pesquisa feita em 2000, onde o total era de 7.430,661.

O chefe da Unidade Estadual do IBGE, Francisco José Moreira Lopes, disse que o serviço de revisão foi feito espontaneamente em 144 cidades, não só nas 43 em que houve contestação. Ele diz ainda que 13 municípios tiveram aumento no repasse de verbas do Fundo de Participação dos Municípios, e que oito sofreram redução.

A coordenadora técnica do Censo no Estado, Ana Eugênia Ribeiro de Almeida, informou que 14 mil domicílios deixaram de ser recenseados. Segundo ela, em algumas casas, o recenseador não era recebido pelo morador. Esses domicílios foram tidos como vazio. 


O Povo

Iguatu participa da Semana Nacional de Conciliação


As comarcas do Interior do Estado agendaram, até o fim da tarde desta segunda-feira (29/11), 11.135 audiências para a Semana Nacional da Conciliação, que teve início ontem e se estende até a próxima sexta-feira (03/12). Do total de audiências programadas, 9.898 são da área cível e 1.237 criminal. As audiências ocorrerão pela manhã e à tarde em todo o Estado.
No primeiro dia, o Interior realizou, até as 17h50, 986 audiências, que resultaram em 488 acordos, o que representa percentual de 49,49%. A Unidade com maior número de acordos foi o Juizado Especial Cível e Criminal (JECC) de Iguatu, com 96 audiências realizadas e 55 acordos. Em seguida, a Comarca de Ipu, que realizou 40 audiências e efetivou 26 acordos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails