quinta-feira, 8 de maio de 2008

Ação busca combater exploração infantil em Iguatu

Realizar ações preventivas contra a violência e o abuso sexual infanto-juvenil. Esse é o objetivo da campanha “Iguatu contra a exploração infantil - Quem denuncia salva”, lançada, na manhã de ontem, pelo Juizado de Proteção a Infância e Juventude, em parceria com o Conselho Tutelar e a Secretaria de Ação Social por meio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas).
A campanha prevê a realização de palestras educativas nas escolas públicas, distribuição de cartazes e adesivos para carros e blitze semanais. Nas emissoras de rádio e jornais locais, haverá inserção de peças publicitárias abordando a temática. De acordo com os dados do Juizado de Proteção à Infância e Adolescência há uma média de 60 denúncias por mês incluindo violência doméstica, maus-tratos, exploração de trabalho e também sexual.
A idéia dos organizadores do movimento é despertar na comunidade local uma consciência contra as diversas formas de exploração infantil. “Muitos comerciantes vendem bebidas alcoólicas, drogas, cigarros e até deixam adolescentes participarem de jogos de azar e de sinucas, em bares e mercearias da cidade e também na área rural”, observa o diretor-executivo do Juizado de Proteção à Infância e Juventude, Raimundo Barbosa da Silva. “Isso é crime e precisa ser combatido”.
No próximo dia 18, transcorre o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A campanha lançada ontem antecede a mobilização local que ocorre todos os anos por ocasião da data. As ações preventivas e educativas serão intensificadas até lá. O trabalho do Juizado de Proteção à Infância e Juventude é voluntário e conta com a participação de 33 agentes.
A principal dificuldade é a falta de transporte. São os agentes que, voluntariamente, realizam o trabalho de fiscalização. Usam carros próprios e dividem entre si o consumo do combustível. “Precisamos de apoio para a nossa locomoção”, observa o diretor social do Juizado e o mais antigo agente, João Teixeira.A mobilização surgiu a partir da constatação de que, a cada ano, ocorre um crescimento dos casos de exploração infanto-juvenil. As ocorrências mais comuns, segundo os órgãos responsáveis, estão relacionadas com os maus-tratos verificados na própria família, negligência e abandono por parte dos pais. “A maioria dos casos é de crianças largadas, sem cuidado com alimentação, vestimenta e falta de acompanhamento escolar”, observa a psicóloga, Kênia Paula Almeida de Araújo, do Centro de Referência da Ação Social (Cras).Kênia Paula observa que os casos de exploração sexual são velados e mais difíceis de serem descobertos e localizados. “São encobertos muitas vezes pelas mães para proteger o companheiro, que é o padrasto e agressor, ou mesmo o namorado da filha”, explica.
No Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), anualmente, são registradas, em média, 15 denúncias de exploração sexual. “Há casos de adolescentes dos bairros da periferia e vindas dos sítios que são agenciadas para prostituição, mas isso é de difícil localização e comprovação”, disse Kênia Araújo.No Creas, no período de 2003 a 2007, o índice médio anual de casos foi de 80 registros. “Essa campanha é válida à medida que desperta na comunidade uma consciência coletiva que passa a ser preventiva”, disse a técnica do Creas, Maria Barbosa. A integrante do Conselho Tutelar, Raimunda Holanda, destacou a necessidade de uma rede de proteção social para as vítimas.
PREVENÇÃO
"A campanha é preventiva e de conscientização dos moradores, mas precisamos de apoio"Raimundo BarbosaJuizado de Proteção à Infância"É uma mobilização válida por meio de um trabalho voluntário, que precisa ser ampliada"Maria BarbosaTécnica do Creas"A violência é presente em nosso meio e a maioria dos casos ocorre em ambiente familiar"Paola Correia da SilvaPsicóloga do Cras.
Mais informações:Juizado da Proteção à Infância e Juventude(88) 3581.5122S.O.S Criança - Creas0800.280. 3734
Repórter HONÓRIO BARBOSA
Fonte: Diário do Nordeste

Iguatu poderá ter um Novo Delegado Regional

Jurandir Oliveira da Costa, Delegado do Crato, possivelmente estará substituindo, o atual Delegado Regional de Iguatu, Hélio Bezerra, tentamos entrar em contato com o possível novo delegado do nosso município, mas o mesmo não se encontrava no local, durante o nosso contato telefônico alguns funcionários confirmaram que existem boatos na cidade do Crato da sua transferência para a terra da telha, em seguida ligamos para o delegado Hélio Bezerra, mas o seu celular está na caixa postal, mais novidades aqui no Iguatu.Net ou no Plantão Policial com Pinheirinho.

Fórum ficou aberto até de madrugada para atender eleitores

Veja este vídeo que registra o trabalho do Fórum Eleitoral de Iguatu na madrugada desta quinta-feira, onde vários eleitores de Quixelô e Iguatu, registraram seu título de eleitor e irão participar das eleições 2008 , "só no último dia que foi esta quarta-feira, mais de 700 pessoas passaram por aqui no fórum" garantiu uma funcionária do fórum eleitoral.

Moto é roubada na Rua Floriano Peixoto

No dia de ontem, 07/05, por volta das 22:50 horas, a Polícia Militar, compareceu a rua Floriano Peixoto, centro, Iguatu-CE, por ocasião em que foi vítima de furto, a pessoa JOÃO ALVES DE ALENCAR, 37 anos, casado, professor, natural de Iguatu-CE, residente na travessa Eduardo Lavor nº 54, bairro Centro – Iguatu, o qual informou que havia deixado estacionado, sua moto honda Bros, cor vermelha, placa HXK-4396-CE, em frente a quadra de esporte Agenor Araújo, por volta 22;30 horas, ao retornar para pegá-la a mesma não se encontrava mais, havia sido furtada. A Polícia Militar, compareceu ao local, colheu as informações de praxe, orientou a vítima a deslocar até a DRPC para registrar o fato, e em seguida saiu em diligência com o intuito de localizar e prender o autor, no entanto, não obteve êxito até o momento.

Loja foi assaltada na Rua Floriano Peixoto

Nesta quarta-feira, 07/05, por volta das 13:00 horas, na rua Floriano Peixoto, centro de Iguatu-CE, a vítima HÉRMESON AZEVEDO LOPES, 34 anos, casado, comerciante, natural de São Paulo/SP, proprietário da loja IGUAFOLHEADOS, teve a citada loja roubada, quando um elemento de estatura média, moreno claro, de posse de um revólver, entrou no citado estabelecimento comercial, rendeu a vítima e subtraiu do local os seguintes objetos: um mostruário de prata, um aparelho celular da marca motorola, uma bolsa com documentos e a quantia de R$ 400,00 (quattrocentos reais). Após o crime, o autor fugiu do local e a vítima não soube informar o meio de transporte utilizado para a fuga. A Polícia Militar compareceu ao local, colheu as informações de praxe e saiu em diligências com o intuito de localizar e prender o autor, no entanto, não obtteve êxito até o momento.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails