sábado, 25 de setembro de 2010

Tiririca distribui gibi polêmico para crianças em caminhadas em São Paulo

A equipe de campanha do palhaço Tiririca, candidato a deputado federal em São Paulo, está distribuindo um gibi polêmico nas caminhadas em que o humorista faz corpo a corpo com eleitores.
Na publicação, que leva na capa a sigla de seu partido, o PR, cada frase séria com ideias do candidato vem acompanhada de uma piada.
Na página que leva o texto "os idosos, que tanto trabalharam pelo Brasil, não foram esquecidos por Tiririca", o humorista aparece abraçado a um casal de velhinhos e afirma, em um balão: "Essa véia ainda dá um caldo". 

A seguir, um outro texto afirma que Tiririca "não faz discriminação" e que, como deputado, "vai lutar por todos: homens, mulheres e gays". Ao lado de um homem, uma mulher e um rapaz que supostamente é gay, ele aparece próximo deste último usando um de seus bordões: "menino lindo!".
Quando promete que "como deputado jamais esconderá a verdade", o palhaço afirma que dará "nome aos bois, sobrenome às vacas e apelido aos bezerros". Ele aparece na sequência carregando um bezerro e chamando-o de "bezerrinho lindo".
Em outra ilustração, em uma sala de aula, alguém pergunta ao "professor Tiririca" se ele era bom aluno. "Eu era cobra", responde. "Sabia tudo?", indaga o aluno. "Não. Passava me arrastando", devolve o palhaço.
A Folha obteve um exemplar do gibi em uma agenda de Tiririca na zona sul de São Paulo. Os assessores do candidato distribuíam o material prioritariamente a crianças.
"Criançada, peça pra mamãe e pro papai votar no Tiririca. Pra deputado, vote no abestado", diz um dos textos.
O gibi informa que 150 mil exemplares foram impressos. O PR afirmou desconhecer o material, mas disse não "oferecer críticas ou reparos a material de campanha".

Supremo não escapa de decisão sobre Ficha Limpa, dizem especialistas

Mesmo com a renúncia de Joaquim Roriz (PSC), o STF (Supremo Tribunal Federal) terá que analisar se a Lei da Ficha Limpa vale para as eleições 2010. A solução deverá ser dada pela Corte em outro processo e, para especialistas, é apenas uma questão de tempo até que recursos de outros candidatos descontentes cheguem ao tribunal.

O Supremo adiou novamente na madrugada desta sexta-feira (24), após 11 horas de discussões, o julgamento do recurso do agora ex-candidato ao governo do DF, no qual também se debatia a constitucionalidade da norma. Diante do impasse e de um placar de 5x5, os ministros decidiram esperar a nomeação, pelo presidente da República, de um novo membro para substituir o aposentado Eros Grau, e desempatar.
Horas depois, Roriz anunciou a desistência de sua candidatura e do recurso ao Supremo. A desistência formal será apresentada por seus advogados no tribunal. Roriz se declarou injustiçado por aqueles que o "acusam sem provas" e pediu votos para a mulher, Weslian Roriz (PSC), que vai disputar o cargo em seu lugar.
Para o jurista Tito Costa, a desistência de Roriz não significa que a Lei da Ficha Limpa deixará de ser contestada, tampouco que o tema não será tratado pelo Supremo. “Há outros candidatos empenhados nisso. O Roriz apenas saiu na frente. Não se pode falar que houve decisão. Se a Corte entender que a lei não se aplica nesta eleição, muitos outros serão beneficiados”, afirma.
“O Supremo vai ser chamado a decidir sobre isso. É uma questão de tempo, porque outros recursos aguardam. O assunto não foi decidido, e o STF está dividido”, completa Péricles d'Avila Mendes Neto, especialista do Pinheiro Neto Advogados.
Tudo igual
O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcante, criticou ontem o adiamento e a hipótese de esperar um 11º ministro para reiniciar a discussão, o que, segundo ele, politizaria o resultado. Para Cavalcante, esperar é o mesmo que deixar a solução para as "calendas gregas", gerando insegurança jurídica no país.

De um lado, o embate no Supremo revelou as posições de ministros sobre temas inerentes à Ficha Limpa, antes desconhecidas. Uma delas, a de Ellen Gracie, voto considerado incógnito até então. Por outro, finalizado o debate, a decisão final, a menos que os ministros mudem de opinião (o que é permitido até a proclamação do resultado final), ficaria nas mãos do próximo indicado pelo presidente.  

“Ele vem para decidir, o peso é grande. As paixões se acenderam ontem”, diz Neto. “Mas quando chegará esse ministro?”, questiona Costa. “Enquanto ele não chegar, a não ser que Lula decida indicar logo, continua tudo como estava antes. É como se nada tivesse acontecido”, avalia.
171 recursos
Um dos políticos ameaçados pela Ficha Limpa é Paulo Maluf (PP), candidato à reeleição como deputado federal, mas barrado no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo. A defesa recorreu e ele continua candidato, aguardando o julgamento no TSE. Se o indeferimento do registro se mantiver, os advogados devem apelar ao Supremo.
Sob a omissão da Corte, centenas de candidatos estão na mesma situação –concorrem sub judice (pendentes). Por sua conta e risco, podem continuar a fazer campanha e podem até receber votos. A escolha do eleitor, no entanto, não se refletirá nas urnas se o candidato não for completamente liberado pela Justiça, inclusive pelo STF.

De um total de mais de 240 candidaturas barradas nos TREs por conta da Ficha Limpa, 171 recursos chegaram ao TSE sobre o tema. De um total de 1.763 recursos que chegaram à máxima Corte eleitoral, apenas pouco mais da metade foi julgada. Para recorrer ao STF, é preciso que todas as instâncias da Justiça Eleitoral tenham sido esgotadas.
Ronaldo Lessa (PDT), candidato ao governo do Alagoas, foi barrado no TRE porque foi condenado em 2004, por colegiado eleitoral, por conta de abuso de poder econômico durante a campanha para eleição de prefeito em Maceió. O PDT nacional chamou a decisão de "política".
A mesma situação enfrenta José Carlos Gratz (PSL), candidato a senador Espírito Santo. À espera de um posicionamento do TSE, ele continua em campanha. Gratz foi barrado por ter uma condenação por improbidade administrativa.
Outros dois candidatos vivem a situação contrária. Já tiveram negados recursos no TSE, mas haviam sido liberados na esfera estadual. Isso porque, na omissão do Supremo, TREs decidiram simplesmente não seguir a nova norma, por a entenderem inconstitucional. São eles Maria de Loudes Abadia (PSDB), candidata a senadora no DF, e Jader Barbalho (PMDB), a senador.
“Essa lei supera o AI-5 da ditadura militar que decretou a inelegibilidade de seus adversários por 10 anos”, disse Barbalho, em nota publicada em seu site oficial, após ter sido barrado. O caso foi citado também durante o julgamento de Roriz no Supremo, pelo ministro Marco Aurélio de Mello, que defendeu a aplicação da norma apenas na próximas eleições, para evitar erros. O candidato renunciou em 2001, mas foi reeleito em 2002. Qualquer um deles, caso recorra ao STF, pode ser o novo provocador da Corte na questão sobre a Ficha Limpa.


 Folha

Na Suécia, canadense é preso após alerta de bomba em avião que levava 273 a bordo

Após um alerta de bomba que levou um avião da Pakistan International Airlines (PIA) com 273 a bordo a fazer um pouso forçado na Suécia, autoridades locais informaram que o suspeito detido é um cidadão canadense de origem paquistanesa e que ainda não foram encontrados materiais explosivos em sua bagagem.
O Boeing 777 da companhia aérea estatal paquistanesa que fazia o voo PK782 entre Toronto, no Canadá, e Karachi, no Paquistão, aterrissou numa pista mais afastada do Aeroporto Internacional Arlanda, em Estocolmo.


A PIA confirmou 255 passageiros e 18 tripulantes a bordo. Entre os passageiros estão 102 canadenses, 139 paquistaneses, oito americanos, três indianos, um japonês, um malasiano e um bengalês (natural de Bangladesh).
A polícia local informou que o suspeito é um cidadão canadense de origem paquistanesa e tem cerca de 30 anos. Já a Pakistan International Airlines limitou-se a dizer que o passageiro é originário do Canadá e tem 25 anos.
Stefan Radman, chefe das operações policiais no local, disse que até o momento não foram encontrados explosivos com o suspeito, mas que um esquadrão antibombas vasculhava a aeronave.
O suspeito não integra listas internacionais de terrorismo e passou com sucesso pelos checkpoints de segurança do Aeroporto Internacional de Toronto, onde embarcou.
Jan Lindqvist porta-voz da empresa que opera o aeroporto de Estocolmo disse que a companhia aérea paquistanesa considera levar os 272 passageiros remanescentes até Manchester, no Reino Unido, de onde seguiriam para Karachi, no Paquistão.
Os passageiros aguardam numa "área de espera internacional", enquanto suas bagagens passam por um rígido controle de segurança.
Diplomatas paquistaneses coordenam as operações junto às autoridades locais suecas.
CONTATO
O piloto foi contatado quando já sobrevoava o espaço aéreo sueco pela polícia canadense, que o informou que a aeronave levava um passageiro que poderia estar carregando material explosivo, segundo um porta-voz do aeroporto.

Folha

Jornal O Popular circula na Região Centro- Sul, Cariri e também no Sertão-Central

Capa da nona edição que já está nas ruas

Olá amigos internautas, é com grande prazer que comunicamos a entrada de mais uma região no roteiro do Jornal O Popular do Ceará. O pensamento de unir tantas regiões e bons profissionais é o nosso desejo. Levar a informação para todos e não esperar apenas o que vem da capital é necessário. O Cariri, Centro-Sul e a partir de agora o Sertão-Central unidos através do Popular que mais do que nunca é do Ceará.

Equipe da TV Jangadeiro destaca na sua programação os encantos de Iguatu

A equipe da TV Jangadeiro destaca em sua programação as riquezas de Iguatu. Confiram a matéria que foi ao ar em rede estadual nesta semana. A produção foi da repórter Kézya Diniz que apresentou o Açude Truusu, a Cascata do Cocobó e tantos outros locais da nossa cidade, confiram

MPT aciona partidos na Justiça para evitar trabalho infantil em campanha

O Ministério Público do Trabalho (MPT) no Ceará ingressou perante a Justiça do Trabalho com ação civil pública com pedido de liminar contra os diretórios estaduais de oito partidos: PR, PHS, DEM, PMDB, PP, PRB, PSTU e PTB. Estas agremiações deixaram de assinar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto em duas audiências públicas realizadas pelo MPT, em 5 e 16 de agosto, visando evitar a utilização de mão-de-obra de crianças e adolescentes em campanhas eleitorais.
Na ação, o procurador do Trabalho Antonio de Oliveira Lima observa que, “apesar de duas vezes notificados para comparecer à audiência, os dirigentes destes oito partidos nem sequer justificaram a ausência”. Dos 26 partidos com atuação no Ceará, 18 compareceram ao MPT e firmaram o Termo: PSB, PDT, PRP, PSL, PSol, PTN, PMN, PRTB, PT, PPS, PV, PTdoB, PSDB, PCB, PCdoB, PSDC, PSC e PTC. Ele pede que a Justiça determine, em relação aos faltantes, a obrigação de não explorar o trabalho de crianças e adolescentes nas campanhas de seus candidatos e em quaisquer eventos partidários.
ECA
Antonio de Oliveira Lima enfatiza que a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) ressaltam o dever da família, do Estado e da sociedade de proteger, com absoluta prioridade, os menores de 18 anos de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração ou violência. Ele menciona que o trabalho precoce é uma das formas mais comuns de exploração de crianças e adolescentes e que, conforme os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad/IBGE-2009), o número de explorados na faixa etária de 5 a 17 anos chega a 293 mil no Ceará e 4,25 milhões no País.
De acordo com a Constituição, o ECA e a Consolidação das Leis do Trabalho, o trabalho é totalmente proibido até os 13 anos de idade. Entre 14 e 15 anos, só é permitido na condição de aprendiz (o que requer o cumprimento de uma série de exigências legais). Entre os 16 e 17 anos, o trabalho é permitido, desde que não se dê em condições perigosas (risco de vida), insalubres (danos à saúde), penosas ou em horário noturno (das 22 horas às 5 horas).
O procurador acrescenta que os partidos têm responsabilidade solidária em caso de infração cometida por seus candidatos. Ele propõe que a Justiça fixe multa de R$ 10 mil por criança ou adolescente encontrado em situação de trabalho. Conforme o artigo 241, do Código Eleitoral, toda propaganda eleitoral será realizada sob a responsabilidade dos partidos e por eles paga, imputando-lhes solidariedade nos excessos praticados pelos seus candidatos e adeptos.

Retificação

A assessoria do PR mandou por email para o Blog Eleições o documento ao qual comprova que o candidato pelo PR ao Governo, Lúcio Alcântara assinou o termo do MPT.
No entanto, o assessor de Comunicação do MPT, Valdélio Muniz, esclarece que o referido documento é o termo de compromisso do candidato com o Movimento ECA – 20 anos, no qual o republicano se compromete, se eleito, a implantar políticas públicas em prol da criança e do adolescente.

Com informações do MPT

Concluída a produção das novas urnas das eleições 2010

Foi concluída a produção das 194.665 urnas eletrônicas modelo 2009 (UE 2009), que serão utilizadas nas eleições gerais de outubro. Os equipamentos – que vêm acoplados a um leitor biométrico para identificação dos eleitores por meio das impressões digitais – foram produzidos pela Fábrica das Urnas, localizada na cidade de Santa Rita do Sapucaí (MG).
Durante todo o período de fabricação dos equipamentos, uma equipe de auditoria do Tribunal acompanhou os trabalhos. O objetivo foi certificar que a produção das urnas eletrônicas ocorreu conforme os procedimentos especificados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no Edital de Licitações.
Todos os tribunais regionais eleitorais (TREs) já receberam as novas urnas eletrônicas para a votação de outubro. O último lote será encaminhado ao TSE nos próximos dias é ficará armazenado como reserva técnica, para eventual substituição de urnas que apresentarem falhas.
Ao todo, nestas eleições, serão utilizadas cerca de 480 mil urnas eletrônicas, sendo 194.665 do modelo UE 2009 e o restante de modelos anteriores, com menos de 10 anos de uso, e que estejam em excelente estado.
Para a aquisição dos novos equipamentos, o TSE investiu R$ 236 milhões. Cada urna modelo 2009 custou R$ 1.214,58, menos que o valor pago nas três últimas eleições. Em 2008, o valor unitário foi R$ 1.724,94. Em 2006, R$ 1.825,89 e, em 2004, R$ 1.454,43.
Com essa compra, a Justiça Eleitoral dispensa a utilização das urnas modelo 1998, que no primeiro turno das eleições municipais de 2008 apresentaram incompatibilidade com os programas atuais e tiveram de ser substituídas por outras urnas eletrônicas ou até por urnas de lona, em Goiás e no Pará.

Com informações do TSE

Ibope: Dilma tem 50%, José Serra 28% e Marina Silva 12%

O instituto Ibope divulgou pesquisa para a corrida presidencial, nesta sexta-feira (24), encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo. A candidata do PT, Dilma Roussef,  lidera as inteções de voto, com 50%  pontos percentuais, apesar de ter apresentado uma queda de 1% em relação à pesquisa anterior. José Serra, do PSDB,  está com 28%, apresentando um crescimento de 3%. Marina Silva, do PV, está com 12%. Os dados foram coletados entre os dias 21 e 23 de setembro. O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 202 municípios de 21 setembro a 23 de setembro.
A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Portanto, Dilma pode ter entre 48% e 52%; José Serra, entre 26% e 30%; e Marina Silva, entre 10% e 14%. Considerando apenas os votos válidos, Dilma seria eleita no primeiro turno, se a eleição fosse hoje. A vantagem de Dilma sobre os demais candidatos caiu de 14 para 9 pontos percentuais.
No levantamento anterior do Ibope, divulgado no dia 17 de setembro, Dilma tinha 51%,  Serra 25% e Marina 11%.Nenhum dos demais candidatos alcançou 1% das intenções de voto. Os eleitores que responderam que votarão em branco ou nulo somaram 5% e os que se disseram indecisos, 5%
SEGUNDO TURNO
Na simulação de um eventual segundo turno entre Dilma e Serra, o Ibope apurou que a petista teria 54% e Serra, 32%. Votariam nulo ou em branco 7% dos eleitores. Os que se disseram indecisos somam 7%.
Com informações do G1

Flagrante de acidente na Avenida Perimetral

Flagrante de acidente na Avenida Perimetral que aconteceu na noite desta sexta-feira, 24, produção do repórter do Iguatu.net Thiedo Henrique. Confiram.

Ceará é multado em R$ 1 mil e não perderá mando de campo

Na noite desta sexta-feira, 24, o Ceará acabou absolvido, de forma unânime, pela Quarta Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por conta da denúncia da agressão de um policial ao meia Marquinhos, no gramado do Castelão, após a partida.

O Ceará foi multado em R$ 1 mil e não irá perder nenhum mando. Já o Santos deve pagar uma multa de R$ 2 mil. Os jogadores envolvidos na confusão serão apenas advertidos.

Neymar foi apenas advertido pelo tribunal e escapou, assim, de uma punição que poderia tirá-lo de até nove jogos do Santos. sessão foi muito extensa e se desenrolou por mais de três horas, devido ao fato de terem sido julgados, além de Neymar, o atacante Marcel, do Santos, e o jogador do Ceará, João Marcos.


Lancenet/O Povo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails