sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Conheça as propostas do PV aos candidatos José Serra e Dilma Rousseff

Veja os principais itens apresentados pelo documento que o Partido Verde pretende apresentar aos candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), que buscam apoio de Marina Silva no segundo turno das eleições presidenciais. Além do veto do projeto do deputado Aldo Rebelo (PcdoB), que revisa o Código Florestal Brasileiro, a proposta inclui a meta de desmatamento zero para a Amazônia e a elevação dos investimentos em Educação para 7% do PIB (Produto Interno Bruto Brasileiro).

O documento do PV pede ainda uma reforma política com adoção do voto distrital misto, lista cívica e financiamento público de campanhas.

Outras propostas polêmicas são o aumento em 10%, até 2014, da participação das energias renováveis na matriz energética brasileira e o fim dos leilões de energia para novas termoelétricas movidas a óleo diesel ou carvão mineral.

Apesar de descartar que os itens do documento definirão por si só o apoio do PV a um dos presidenciáveis, o presidente nacional do PV, José Luiz Penna, diz que a aceitação das propostas pelos candidatos é essencial para o início das tratativas com Dilma e Serra. Confira os principais itens da proposta do PV.

Transparência e ética:
Não instituição de qualquer mecanismo de tutela ou controle sobre a liberdade de imprensa;

Transparência das informações sobre execução orçamentária do governo federal, disponibilizando na internet dados primários do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI) e permitindo o acompanhamento da execução dos contratos e dos processos decisórios, inclusive dos conselhos de governo e agências reguladoras;

Reforma eleitoral:
Encaminhamento ao Congresso de reforma política com adoção do voto distrital misto, lista cívica e financiamento público de campanhas.

Educação para a sociedade do conhecimento:
Elevação do investimento em educação do setor público para 7% do PIB, priorizando novos investimentos na direção da universalização do acesso à pré-escola e à creche;

Eliminação do analfabetismo entre jovens de 15 a 30 anos até 2014 e erradicação do analfabetismo até 2018;

Viabilização, nos primeiros seis meses de governo, da aprovação no Congresso da Lei de Responsabilidade Educacional e a criação do Sistema Nacional de Educação;

Segurança pública:
Programa de subsídios à manutenção na escola ou em curso técnico profissionalizante de todos jovens em situação de risco;

Fundo nacional de segurança para complementar os salários dos policiais civis e militares de forma a garantir sua dedicação exclusiva à segurança pública;

Encaminhar, no prazo de seis meses, PEC para reforma do modelo policial brasileiro;

Mudanças climáticas energia e infraestrutura:
Agência reguladora independente para a Política Nacional de Mudanças Climáticas;

Aumento em 10%, até 2014, da participação das energias renováveis na matriz energética brasileira;

Fim dos leilões de energia para novas termoelétricas movidas a óleo diesel ou carvão mineral;

Supressão do IPI sobre fabricação de veículos elétricos e híbridos;

Moratória de novas usinas nucleares ainda não autorizadas pelo Congresso Nacional;

Cumprimento das condicionantes socioambientais em relação ao projeto Belo Monte;

S
aúde, assistência social e previdência:
Comprometimento de 10% do orçamento federal para saúde conforme previsto na emenda 29/2000 e sua regulamentação no Congresso Nacional, em 2011;

Programa Saúde da Família (PSF) para, pelo menos, 80% da população brasileira, até 2014 com redução de três mil para dois mil do número de pessoas atendidas por cada equipe;

Programas sociais de terceira geração contemplando a inclusão produtiva como desdobramento dos programas de transferência de renda;

Aumento para 75% dos domicílios com acesso à rede de esgoto e pelos menos 50% com tratamento do esgoto coletado, até 2014, com vistas à universalização do serviço até 2020;

Proteção dos biomas brasileiros:
Desmatamento zero de vegetação nativa primária e secundária, em estágio avançado de regeneração, em todos os biomas brasileiros, ressalvadas situações de premente interesse público.

Veto a propostas de alteração do Código Florestal que reduzam áreas de reserva legal, preservação permanente ou promovam anistia a desmatadores;

Gasto público de custeio e Reforma Tributária:
Limitação da expansão dos gastos de custeio do governo federal à metade do crescimento do PIB;

Proposta de reforma tributária nos seis primeiros meses de governo contemplando:

Política Externa:
Política externa orientada pela promoção da paz, liberdade, democracia e respeito aos direitos humanos.

Fortalecimento da diversidade socioambiental e cultural:
Conclusão da demarcação e homologação das terras indígenas e criação de fundo para apoiar projetos indígenas e das demais populações tradicionais;

Implementação do Sistema Nacional de Cultura, ampliando seu orçamento promovendo a descentralização dos recursos e das políticas culturais;

Combate a toda forma de discriminação racial, sexual e religiosa.

CNBB: bispos podem orientar fieis, mas não indicar candidatos

O secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Dimas Lara Barbosa, disse, nesta sexta-feira (8), que considera "perfeitamente normal" que padres e bispos orientem os fieis durante os sermões em missas. De acordo com Dom Dimas, a Igreja tem o direito e o dever de orientar os fieis a respeito de questões morais e éticas, mas não indica quais candidatos devem receber votos.

O secretário-geral da CNBB comentou o pedido de direito de resposta feito pela candidata petista à presidência da República, Dilma Rousseff, contra a TV Canção Nova. Na manhã da última terça-feira (5), a emissora transmitiu um sermão do padre José Augusto pedindo que os fieis não votem na petista no segundo turno porque ela seria a favor do aborto em gestações indesejadas.
"A CNBB não legisla sobre o que os bispos e padres devem fazer. Eles são livres para dizer o que é melhor para seus fieis. O aborto entrou na pauta e é um tema de grave importância. O que espero é que todos os candidatos trabalhem na defesa da vida desde a concepção até a morte natural", disse.
Dom Dimas afirmou que a discussão sobre temas religiosos polêmicos, como o aborto, devem ser alvo da preocupação das autoridades. "O Estado é laico, mas não é ateu. A população brasileira é fundamentalmente religiosa, de modo que é quase impossível pedir para o cidadão fazer essa separação", declarou.

Terra

Eunício volta ao interior do Ceará

O senador eleito pelo Ceará no último domingo, Eunício Oliveira (PMDB), segue em campanha pelos municípios do Estado. Até o dia 31 de outubro, o peemedebista estará trabalhando juntamente com a coordenação de campanha da candidatura à Presidência, Dilma Rousseff, participando e organizando ações no Ceará para confirmar a vitória da petista no segundo turno das eleições de 2010.
Eunício visitará neste final de semana os municípios de Tauá, Juazeiro, Crato, Barbalha e Maracanaú para também agradecer aos eleitores, apoiadores e lideranças políticas a votação recorde que obteve no último pleito, além de reafirmar seu compromisso com o desenvolvimento socioeconômico cearense.
Na noite desta sexta-feira (08), às 20 horas, Eunício vai à Tauá onde participa de grande carreata pelas principais ruas da cidade e em seguida das comemorações do aniversário do vice-governador eleito, Domingos Filho (PMDB). A partir das 16 horas de sábado (09), Eunício segue em carreata pelas ruas dde Barbalha, Juazeiro e Crato. No domingo, a partir das 9 horas, será a vez de agradecer aos eleitores de Maracanaú pela confiança depositada nas urnas.
Serviço:
Sexta-feira: Visita a Tauá (20 horas)
Sábado: Carreata no Crajubar (16horas)
Domingo: Carreata em Maracanaú (9 horas)
Sertão Central

Por Amarildo

Agenor Neto anuncia ambulância para o Corpo de Bombeiros de Iguatu


Parabéns para o presidente da Assembléia Legislativa do Ceará, Domingos Filho, que nesta sexta-feira, 08, completou mais um aniversário e de quebra junto com Agenor Neto presenteiam Iguatu com uma nova ambulância para o Corpo de Bombeiros. Apenas lembrando que a viatura do CB de Iguatu está completamente sucateada sem as condições idéias de atendimento ao público e de trabalho para os militares da corporação.

Cientista político: É um risco para os tucanos citar FHC

Há quem acredite que a disputa entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) recomeça de fato, nesta sexta-feira (8), com o retorno do horário eleitoral na TV e no rádio. Somente agora, o eleitor poderá ver, com clareza, quais estratégias de campanha foram mantidas e quais passaram por redefinição. Para o cientista político Marcus Figueiredo, professor do Instituto de Estudos Sociais e Políticas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), a expectativa é que, no segundo turno, as diferenças ideológicas entre a petista e o tucano se evidenciem.
Figueiredo espera, ainda, um confronto mais direto entre os presidenciáveis. "Um confronto na concepção de projetos de Brasil".
- Você tem os tucanos com as alianças tradicionais, com o DEM e outros. Evidentemente, vão entrar numa linha mais neoliberal. A tradicional política de enxugamento do Estado, de eficiência e as propostas que todos fazem em relação à saúde, segurança e educação. Há uma divisão clara em termos de concepção. Para os tucanos, a ascensão social depende do mérito e da preparação do cidadão para subir na vida. Enquanto que, na linha social democrata do PT, o suporte do Estado é que garante a ascensão social.
O cientista político considera arriscada a estratégia do PSDB, que deve utilizar mais a imagem do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, praticamente preterido no início da campanha de Serra. Na propaganda tucana exibida na TV, nesta tarde, a gestão FHC foi mencionada.
- É um risco para os tucanos entrar com Fernando Henrique agora, porque na comparação entre resultados econômicos e sociais, o período Lula é muito superior ao que aconteceu nos dois governos FHC - opina.
Na avaliação de Figueiredo, o tom mais agressivo, observado no fim da campanha no primeiro turno, deve permanecer na etapa final.
- A classe média entrou na discussão por vários meios, inclusive pela internet, por conta da crise na Casa Civil. E os religiosos fundamentalistas partiram para jugular da Dilma, taxando-a de pró- aborto. Isso vai continuar. A oposição está revivendo aquelas matérias todas, já ultrapassadas, do vazamento na Receita Federal e, em seguida, vai voltar, aliás, já voltou, com a questão da Casa Civil. E na internet continua o terrorismo católico e protestante contra a Dilma. 

Terra Magazine

PV do Piauí declara apoio ao PSDB do candidato Sílvio Mendes


A presidente do diretório do PV no Piauí, Teresa Britto (FOTO), candidata derrotada ao governo do Estado, anunciou, nesta sexta-feira (8), na capital Teresina, apoio à candidatura de Sílvio Mendes (PSDB) no segundo turno.

Em coletiva, Teresa Britto disse que antes de anunciar a decisão consultou a ex-ministra Marina Silva (PV) e dirigentes do partido. "Mais de 90% do PV do Estado optou pelo candidato Sílvio Mendes. A nossa exigência passou pela questão programática", disse Teresa, que obteve 24 mil votos no primeiro turno, equivalente a 1,59% dos votos válidos.
O candidato Sílvio Mendes apareceu para oficilizar a aliança. A direção do partido entregou uma carta compromisso ao candidato, defendendo políticas de meio ambiente, saúde, educação e segurança pública. O documento também foi protocolado no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.
Mendes é o candidato da oposição no Piauí e conta com o apoio do PSDB, DEM, PPS e PSC. É adversário do governador Wilson Martins (PSB), que tenta à reeleição.
Com voz embargada, o candidato da coligação "A Força do Povo", Mendes, se emocionou ao receber apoio do PV, na Associação Industrial Piauiense. Ele classificou o acordo como um "ajuste de vela", condenou as barganhas políticas e disse que seu acordo com o PV é a luz do dia. "As propostas do PV só engrandecem o nosso plano de governo", concluiu.

Tremor de Terra de 5 graus atinge Brasília

Um tremor de terra de 5 graus de magnitude foi registrado no fim da tarde desta sexta-feira na região Centro-Oeste do País nesta sexta-feira, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos. De acordo com o Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (UnB), moradores de diversos pontos da capital federal telefonaram para relatar tremores, mas a instituição ainda não confirma a magnitude.
O sismo ocorreu às 17h16 e teve epicentro na divisa entre Tocantins e Goiás, a 255 km de Brasília, com profundidade de 14,8 km, informou o serviço americano.
Segundo testemunhas, houve pânico entre funcionários na Esplanada dos Ministérios. No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), houve orientação para que os servidores deixassem o prédio. Também foram evacudados o edifício do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), do Ministério das Cidades e dois prédios do Setor Bancário Norte, todos na região central de Brasília.
Os bombeiros de Brasília informaram que receberam cerca de 200 ligações sobre o tremor em imóveis, mas que não há registro de vítimas ou danos materiais até o momento. A corporação orientou a população a manter a calma e evacuar prédios e casas caso um novo tremor seja sentido.

Com informações da Reuters e de Luciana Cobucci.

Veam aí a 3ª Marcha Para Jesus em Iguatu


 O nosso amigo Assis Araújo e o vereador Rubenildo Cadeira ao lado das coordenadoras do evento religioso

A 3ª edição da Marcha Para Jesus em Iguatu será realizada nesta segunda-feira, 11, o evento organizada pelo grupo Kyrós Produção Gospel e deve reunir mais de 20 mil pessoas e os louvores ficarão por conta de Lázaro e Banda além da cantora Alice Maciel.  “ Para esta edição estamos tendo a expectativa de um grande aumento no número de participantes, pois recebemos ligações de vários amigos de cidades do Cariri e até de Fortaleza que estarão chegando em caravanas para participarem do evento” disse a coordenadora Aureni. A concentração acontecerá nas proximidades da APAE de Iguatu a partir das 19h.
Uma das atrações da Marcha é o cantor evangélico Lázaro, ex-integrante da banda de axé baiano Olodum que possui cinco CD’s gravados e um DVD. “ Ele é um dos nomes mais bem aceitos entre a juventude e toda comunidade evangélica do interior do Ceará e por isto retorna para participar da terceira edição do nosso evento. Outro nome é Alice Maciel que está conquistando muito espaço entre os nossos irmãos e que fará uma bela apresentação na marcha” afirmou Aureni.  

   Leiam mais na edição deste sábado, 09 de outubro no Jornal O Popular

Algumas impressões sobre a campanha presidencial

Por Lúcia Hipólito

As eleições de 2010 seriam dificílimas, quem quer que fosse o candidato da oposição. Uma conjunção de fatores "nunca antes" reunidos na História do país desequilibrava a balança, desde o primeiro momento, para a candidatura do governo.
Esses fatores são: democracia, moeda estável, controle da inflação, crescimento econômico e Lei de Responsabilidade Fiscal.
Já tivemos democracia com hiperinflação e moeda fraca, democracia com estagnação e ausência de controle sobre gastos de governadores e prefeitos.
Já tivemos ditadura com crescimento, ditadura com hiperinflação e com estagnação.
Mas nunca esses fatores se juntaram num mesmo período. Como agora.
Assim, o ambiente sempre esteve favorável a uma candidatura governista.
Mas em 2010 acrescentamos ainda dois outros trunfos importantissimos para o governo:
1. o mais formidável cabo eleitoral de que se tem notícia. Um presidente em fim de (segundo!) mandato, navegando em 80% de popularidade, dono de inegável carisma a contato direto com as massas. Um presidente que não teve o menor escrúpulo em afrontar as leis do país, de debochar da opinião pública ("Nós somos a opinião pública", bradou ele em cima de um palanque), de usar despudoradamente a máquina do governo, de se aliar ao coronelismo mais deletério, mais perverso e obsoleto. Tudo para eleger sua candidata. E em primeiro turno.
2. uma máquina de fazer votos, que é o Bolsa-Família.
Pronto. Foi só contratar um marqueteiro muito competente e deixar que a campanha caminhasse, sem expor muito a candidata, que é cintura dura.
A campanha do governo foi extremamente bem feita, tanto no rádio quanto na TV. O slogan Para o Brasil seguir mudando é muito inteligente, porque se apropria da ideia da continuidade e da ideia de mudança, deixando pouco espaço para a oposição se apresentar como alternativa.
Não fossem os escândalos de corrupção na Casa Civil, envolvendo o braço direito de Dilma Rousseff.
Não fosse o presidente Lula perder as estribeiras e vociferar contra tudo e contra todos, criando atritos desnecessários com a imprensa, com a classe média e querendo "extirpar" da vida pública um partido político legalmente constituído.
Não fosse a prepotência e a arrogância de José Dirceu na Bahia, avisando que vai voltar poderoso e que o PT vai mandar no governo Dilma, talvez a eleição tivesse terminado no primeiro turno.
Isso porque o tempo todo a oposição contribuiu fortemente para que quase não houvesse campanha.
Oposição incompetente. Vamos combinar que temos uma das oposições mais incompetentes da história da República.
Derrotados em 2002, os tucanos ficaram acuados, envergonhados das conquistas dos oito anos de mandato de Fernando Henrique, vestiram a carapuça de "vendedores do patrimônio do povo brasileiro", não souberam honrar o legado que receberam, não souberam popularizar as conquistas do Plano Real, do telefone celular, da Bolsa-Escola.
Durante o escândalo do mensalão, não quiseram sujar os punhos de renda e esperaram que a imprensa fizesse o trabalho que era da oposição. Estavam certos de que a presidência da República lhes cairia no colo por gravidade.
Mas, ao contrário do que pensam certos áulicos do lulismo, a imprensa não é um partido político, e seu papel não é substituir a oposição.
Nem com a derrota de 2006 aprenderam a fazer oposição. Resultado, chegaram a 2010 como sempre: divididos, erráticos, sem projeto e sem proposta.
A campanha tucana é ruim, o slogan O Brasil pode mais precisa vir acompanhado de explicação.
A escolha do vice foi uma história de horrores, para terminar na solução mais inadequada que se pode imaginar. O vice escolhido não agregou um único voto.
Campanha paroquial. Serra e Dilma fizeram, no primeiro turno, uma campanha para prefeito. Era mutirão de catarata para cá, construção de casas populares para lá. Nada que um bom prefeito não possa propor.
Projeto para o país? Nenhum. Política de ciência e tecnologia articulada com universidades e empresas? Nada. Política industrial? Coisa nenhuma. Política externa? Ninguém sabe, ninguém viu.
Numa perversa manipulação da desinformação de boa parte do eleitorado, as duas campanhas alegam que "o povão não está interessado nessas coisas". Maldade. Perversidade. Exploração da ignorância alheia.
A decepção dos petistas por não terem liquidado a fatura no primeiro turno estava estampada nos rostos de Dilma e Michel Temer no próprio domingo. Pareciam nocauteados. "Onde foi que erramos?", pareciam se perguntar.
Agora é corrigir os erros e partir para o segundo turno. As duas campanhas vão se esmerar para conseguir os votos de Marina Silva, um considerável patrimônio de 20% do eleitorado.
Vamos acompanhar. E cobrar compromissos dos dois candidatos. Chega de demagogia barata.

Vídeo de Ciro Gomes elogiando José Serra é sucesso na internet



Blog do Lindomar Rodrigues

Blog da Dilma chama Marina Silva de "traíra"

O "Blog da Dilma", feito por militantes do PT e que se define como "o maior portal da Dilma Rousseff na internet", postou na véspera da eleição um texto com ataques a Marina Silva.
O arrependimento veio rápido e o texto saiu do ar tão logo a candidata do PV, com 20 milhões de votos, passou a ser assediada para dar o seu apoio aos dois candidatos que disputam o segundo turno das eleições.
O post, com o título "Marina Silva, a traíra", a chamava de "ecochata", e afirmava que sua candidatura era uma vingança contra Dilma e Lula. O texto ainda dizia que Marina não tem "conhecimento" e "caráter" para governar o Brasil. 

O artigo foi publicado no dia 30 de setembro e retirado do ar no dia 4 de outubro, dia seguinte às votações do primeiro turno, quando ficou claro que era necessário tentar pescar a preferência de 19% dos eleitores que escolheram a candidata do PV no primeiro turno.
A previsão feita pelo texto, com a leitura de hoje, é o que os petistas não querem que aconteça: o Blog da Dilma afirmava que Marina iria, no segundo turno, "cair no colo" do candidato do PSDB à presidência, José Serra.
"Ela alimentava esperanças de que o presidente Lula a escolhesse para ser sua sucessora, e quando percebeu que não seria a escolhida deu o bote tal como uma cascavel", afirmava o texto assinado por Jussara Seixas, uma das editoras do blog.
Ontem, o editor geral e criador do "Blog da Dilma", Daniel Bezerra, afirmou à Folha que a decisão de tirar o texto do site foi dele.
"Estava viajando e não tinha visto a matéria. Quando cheguei, deletei, não fui a favor da maneira agressiva como a minha editora colocou. Quando escrevo coloco de uma maneira respeitosa", disse.
O blog registrava ontem, de acordo com uma contagem própria, mais de 7 milhões de acessos desde 2008, quando foi criado. Bezerra afirma que chega a ter, no horário de pico, quase "2.600 acessos por minuto". "Isso é mais do que o site da Carta Capital, mas o PT não tem ingerência ao blog", garante.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails