segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Presidente da COELCE fala para Iguatu



Durante a sua passagem por Iguatu o presidente da COELCE, Abel Rochinha, falou para os internautas do Iguatu.net sobre os problemas de oscilações da energia em nossa cidade e região. Durante a entrevista o mesmo explica o que acontece e como os usuários devem agir numa situação com problemas em equipamentos eletrônicos:

Néo

Dilma governará com Lula ? ou Lula governará com Dilma ?

 Por Carlos Chagas

Certeza, ninguém tem. Surpresas sempre podem acontecer. Mas como os ventos sopram  em favor de Dilma Rousseff, importa raciocinar em função da vitória da candidata, domingo que vem. Com quem ela irá governar, impossibilitada de repetir a experiência do Lula, que nos últimos oito anos governou com ele mesmo, acima e além do seu partido?
Posiciona-se o PT para ocupar os espaços que,  senão negados por completo, foram-lhe reduzidos pela onipresença do presidente. Imaginam os companheiros que com Dilma será diferente, tendo em vista o artificialismo de sua  candidatura,  tirada do bolso do colete presidencial. Pode repousar aqui o primeiro erro do partido: o lulismo não desapareceria mesmo se o Lula pretendesse entrar em cone de sombra, hipótese descartada pela própria personalidade do presidente em vias de tornar-se ex-presidente.  Se na campanha prevaleceram  integralmente a palavra e os conselhos do rei, porque seria diferente no governo da rainha? Para o primeiro-companheiro   estarão voltadas as atenções e as expectativas dos novos ocupantes do palácio do Planalto. Aliás, nem tão novos assim, tendo em vista a presença obrigatória de ex-ministros no ministério a ser formado.
É preciso registrar, também, que depois de dois mandatos pendurados no  salva-vidas oferecido pelo Lula, o PT não é mais o mesmo.  Os que desejavam as mudanças fundamentais e até a revolução proletária  dos  idos da criação do partido não  conseguiram faze-las. Naufragaram, em grande maioria. E os  que falsamente   tentaram faze-las,  não as desejavam.  O resultado foi a transformação do PT, de partido operário em partido de funcionários públicos, agarrados os líderes que sobraram às estruturas do estado, às diretorias de estatais, às ONGs de ocasião e até a uma burocracia fajuta.
Será esse o PT que pretende conduzir o governo Dilma Rousseff? Ela  mesmo conseguirá dispersar e  botar para correr quantos companheiros  tiverem coragem de tentar condicioná-la.  Bastaria um de seus  tradicionais  gritos tão a gosto de sua performance no governo Lula.
Sendo assim, a primeira conclusão será de que Dilma governará com  o Lula, muito mais do que com o PT. E o Lula governará com Dilma, apesar do PT.  Quebrará a cara  quem imaginar o  PMDB pensando em infiltrar-se no núcleo palaciano através do vice-presidente Michel Temer.  O grande  obstáculo a impedir essa trajetória chama-se Lula.

ELEIÇÕES 2010: divulgação de uma pesquisa por dia durante a semana

A primeira a ser divulgada deve ser do Vox Populi, hoje. Amanhã tem Datafolha. Sensus sai na quarta, e Ibope, na quinta. O Datafolha publica outra sondagem na sexta. E, no sábado, véspera da eleição, Ibope, Vox e Datafolha devem divulgar as últimas pesquisas.
Sem contar as sondagens não-registradas, feitas por conta dos próprios institutos ou contratadas por campanhas e empresas, virão a público, de hoje até as urnas, pelo menos oito pesquisas de institutos que acompanharam a sucessão desde o começo. É bastante, mas não tudo.
Há novidades de última hora. O GPP, instituto ligado a Cesar Maia (DEM), registrou pesquisa presidencial contratada pelo candidato a vice de José Serra (PSDB), Índio da Costa, e está apto a divulgá-la a partir de amanhã.
Inédito nesta sucessão presidencial, o instituto Veritá protocolou registro e pode divulgar pesquisa a partir de quinta. É duvidoso se o fará. Na semana passada, o Veritá também registrou sondagem paga com recursos próprios mas não se tem notícia do resultado.
Dos quatro institutos veteranos nesta sucessão, três mostravam a mesma tendência até a semana passada: um alargamento da vantagem de Dilma Rousseff (PT) sobre José Serra (PSDB) para pelo menos 12 pontos, considerados os votos válidos.
Só o Sensus mostrou estabilidade. Dos quatro institutos, é o que divulga pesquisas com menos frequência. Incluindo-o na média das quatro sondagens mais recentes de todos os institutos, o quadro era, até sexta-feira, de 55% a 45% para Dilma.
Mas essa medição não computou eventuais efeitos do chamado “bolinhagate”, nem das denúncias contra pessoas ligadas a Dilma no noticiário do final de semana, tampouco do debate da TV Record. A tendência do eleitor pode ter mudado, e é isso que se deve procurar nos números a partir de hoje.
A comparação das pesquisas ao longo do tempo é mais importante do que os porcentuais em si. Só o histórico é capaz de indicar para onde vai o eleitorado, se um candidato está em ascensão ou queda. É o que Vox Populi, Datafolha, Sensus e Ibope, pela ordem, mostrarão a partir de hoje.
Não se pode dizer o mesmo de GPP e Veritá. Deles, não se tem referência nesta eleição presidencial. Surgem para um tiro solitário e incomparável. Equiparar seus resultados, sejam eles quais forem, aos dos institutos que têm histórico nesta sucessão é arriscar-se à confusão.

Noblat

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails