sábado, 6 de junho de 2009

Buscas por assaltantes da agência do BB em Orós continua

Continuam as buscas pelos bandidos que assaltaram a agência do Banco do Brasil, nesta sexta-feira (05), em Orós. Até agora foi encontrado apenas um carro preto com placas de Pernambuco, que teria sido usado na fuga. Para continuar as buscas, o policiamento da cidade foi reforçado. A Polícia acredita que os assaltantes estejam escondidos, em Orós, próximo ao Sítio Cajazeiras.

Debates jurídicos em Iguatu

Prossegue hoje, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) desta cidade, a partir das 8 horas, o Ciclo de Debates Jurídicos. O evento é promovido pelos alunos do 10º semestre do curso de Direito do campus local da Universidade Regional do Cariri (Urca). O objetivo é contribuir para o debate acerca de temas atuais, como teste do bafômetro, contrato de namoro, aposentadoria, inovações criminais e concursos jurídicos. A abertura do evento aconteceu, na noite de ontem, com apresentação do tema “Direito constitucional; a (in) constitucionalidade do bafômetro”, pelo promotor de Justiça da cidade de Cedro, Leydomar Nunes Pereira. Os debatedores foram os advogados Reno Feitosa e Renato Esmeraldo. Em seguida, houve o lançamento do livro, “Teoria Geral do Direito Penal”, do professor Reno. Ainda na noite de ontem, aconteceu o segundo debate sobre “Direito de Família; contrato de namoro”, com a participação do juiz de Direito e professor universitário, Djalma Sobreira Dantas Júnior, e do advogado Marcelo Bezerra. Hoje, o seminário prossegue com três debates. A partir das 8 horas, o tema “Direito Tributário; controle de constitucionalidade e a tributação” será abordado pelo advogado Valdetário de Andrade Monteiro, tendo como debatedor o advogado André Carvalho Alves. Em seguida, o enfoque será dado para a temática da responsabilidade civil nas relações afetivas, que será apresentada pelo advogado Michel Mascarenhas Silva, que aproveita a oportunidade e lança o livro de sua autoria, sob o título “Responsabilidade Civil no rompimento do casamento e união estável”. Palestra A partir das 14 horas, o professor Everaldo Santos Soares fala sobre o direito previdenciário “A nova aposentadoria”, com participação dos debatedores Michel Egídio e Juciê Medeiros, ambos advogados. O encerramento do evento será com a palestra “Inovações criminais e os concursos jurídicos”, que será proferida pelo professor Lyvio Moizes Vasconcelos Vieira, com debate da professora universitária e advogada, Yanne Bezerra. Mais informações: Campus da Urca de Iguatu Rua Evaldo Gouveia, S/N (88) 3581.3552
Fonte: Diário do Nordeste

Faltam 23 centímetros para a sangria do Açude Trussu

Atualizamos a informação e neste exato momento faltam apenas 23 centímetros para a sangria do Açude Roberto Costa, nas últimas horas o nível aumentou mais dois centímetros, quem confirma esta informação é o DNOCS/Iguatu.

Justiça decreta greve ilegal dos professores

O juiz Chagas Barreto, da 2ª Vara da Fazenda Pública, decidiu pela ilegalidade da greve dos professores da rede estadual. O juiz argumentou que 544.649 alunos estão prejudicados e que a situação não pode continuar.
Os professores devem voltar imediatamente para as salas de aula sob pena de multa de R$ 100 por dia para cada professor grevista e R$ 10 mil por dia para o sindicato Apeoc. A ação foi um trabalho conjunto entre o Governo do Estado e Ministério Público.

ÁUDIO: vereador Nelho Bezerra fala sobre novo movimento dos agricultores na próxima semana

ÁUDIO: Vereadores de Iguatu irão se encontrar com Tasso Jereissati

Na próxima segunda-feira, 08/06, os vereadores do PSDB de Iguatu estarão se reunindo com o Senador Tasso Jereissati. Estarão ao lado do líder tucano os vereadores Aderilo Filho, Louro da Barra e Nelho Bezerra. Escutem logo abaixo a entrevista do vereador Aderilo Filho para o nosso site.

Câmara Municipal de Iguatu recebe comissão e debate sobre prejuízos na agricultura de Iguatu

Comissão foi ouvida na Casa do Povo
Por Wandemberg Belém
Os vereadores de Iguatu na quinta-feira, 04, em sessão na sede do Poder Legislativo estiveram reunidos com representantes da Ematerce, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Conselho Comunitário de Desenvolvimento Municipal de Iguatu e Secretaria da Agricultura do Município com o objetivo de discutir sobre as perdas das lavouras deste ano, assim como o repasse do Seguro Safra. A audiência foi provocada pelo líder do prefeito na Casa, vereador Aderilo Filho, que ressaltou sua preocupação com a perda do que foi produzido no município, também muitos agricultores ficaram sem receber o Garantia Safra. “É importante essa discussão para que a gente possa ser informado como esse trabalho é feito em relação ao Garantia Safra. Porque recentemente tivemos aquele problema quando os agricultores ficaram fora do seguro do ano passado e foi bastante desgastante para a classe. E esse ano as pessoas são unânimes em dizer que não se vai produzir nada em relação ao excesso de chuvas. Até mesmo nas localidade mais altas há perdas do feijão e milho. E o que nasceu apodreceu. E essa tem sido a nossa preocupação. E o que nos deixou preocupados foi com o que foi veiculado na impressa que haveria a possibilidade uma redução de 20% da safra. E gostaríamos de ouvir dessa comissão quais são os critérios para esse seguro. E termos uma informação maior para que possamos informar aos agricultores e as lideranças comunitárias”, disse o vereador Aderilo Filho. O vereador Nelho Bezerra criticou chamando de mesquinha a forma como, segundo ele, vem sendo tratada essa questão do repasse desse seguro para os agricultores dos municípios de Iguatu, Orós e Quixelô. Nelho afirmou que em outras regiões do Estado o seguro já está garantido e que somente em Iguatu nada ainda tem definido. O secretário adjunto da Agricultura, Marciano Macedo, apresentou algumas informações dizendo que de acordo com dados os erros de digitação estão sendo corridos e a partir do mês de julho os agricultores que ficaram fora dessa primeira parcela que se vence esse mês serão incluídos. O gerente local da Ematerce, Erivaldo Barbosa, explicou que os cadastros dos agricultores no Garantia Safra não são feitos na Ematerce como se vem apontando. “Quanto ao Garantia Safra, ele se inicia por volta de outubro, novembro, quando é feito cadastramento por uma comissão formada por várias instituições. O cadastro que chega a Ematerce é feito pelos próprios presidentes das associações que preenchem as fichas e levam até o sindicato”. De acordo com Barbosa, a digitação é feita na secretaria de Agricultura e a Ematerce é responsável pela fiscalização. “Se está havendo um erro, não sei quem está errando. A Ematerce apenas dá uma senha para o digitador fazer a digitação, que depois de feito sai o relatório e somente depois disso é feita a homologação até o recebimento dos boletos que é feito o pagamento”, explicou o gerente, afirmando que em Iguatu são em torno de 4.500 agricultores cadastrados e que o laudo é feito com torno 1% desse total. “Em Iguatu foi exatamente 0,93% e nós temos exatamente. Do total mandaram 42 laudos. Esses laudos são escolhidos no MDA aleatoriamente de acordo com a comunidade com a proporção do número de cadastrado da região. A gente recebe aqui os 42 laudos de plantio. Então temos um mês para os agentes irem para o campo para verificarem esses laudos. Que somente depois chega o laudo de colheita. Chegou hoje (quinta-feira). E daí temos mais um mês para os agentes verificarem esses outros laudos quando esperamos também a finalização da colheita para o preenchimentos dos mesmos”, acrescentou. Ele disse ainda que “para o Garantia Safra, o importante são esses dois momentos e em cima desse laudo de colheita é que se a perda for mais de 50% o município é incluído no seguro”. O representante do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sebastião Alves, disse que não se justifica erros que vêm sendo cometidos com as informações que asseguram o seguro aos agricultores. E que a comissão fez um trabalho sério e que é preciso se debater e mostrar a realidade desses causos. O presidente do CCDMI, Lindovan Oliveira, defendeu os presidentes de associações ressaltando que os mesmo são parceiros e que como foi posto não devem levar culpas pelos erros que já foram cometidos. “Estamos hoje aqui querendo uma solução, porque o nosso produtor tem que ter o seu seguro reconhecido mediante a perda que tenha dito”, disse. O vereador Francisco Benigno (Louro da Barra) classificou como uma falta de respeito com os agricultores, cobrando mais respeito por parte dos órgãos competentes a esta classe. E que estará sempre à disposição para lutar pela agricultura. Durante a sessão, o vereador Ronald Bezerra leu um comunicado enviado à Casa pelo assessor do Garantia Safra em Brasília, explicando sobre o Garantia Safra mostrando a listagem dos agricultores que ficaram fora do seguro. Ele explicou os erros de digitação durante a geração do cadastrado no programa excluindo esses agricultores e que os mesmos já estão sendo corrigidos para a inclusão desses trabalhadores a partir do mês de julho no programa. O vereador João Inácio fez uma colocação dizendo que o erro foi de digitação e não como foi posto que o erro era da Ematerce. Encerrando a sessão, Ronald Bezerra, que presidiu a sessão, agradeceu a presença de todos falando que o papel dos vereadores vem sendo feito no município pela riqueza da participação dos edis.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails