sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Iguatuense Evaldo Gouveia será o homenageado do carnaval de Fortaleza

Evaldo Gouveia será o homenageado do carnaval de Fortaleza deste ano. O projeto da Prefeitura inclui a gravação de um CD, com 20 canções pinçadas de seu cancioneiro, por intérpretes do quilate de Elba Ramalho, Lenine, Zé Renato, Jane Duboc, Leny Andrade e cearenses como Waldonys, Kátia Freitas, Marcus Caffé, Unidos da Cachorra e Breculê


Depois de celebrar 80 anos de idade em 2010, o cantor, compositor e violonista, Evaldo Gouveia continua comemorando sua vida artística em 2011. Cearense de Iguatu, o autor de “Sentimental demais” é o grande homenageado do carnaval desse ano pela Prefeitura Municipal de Fortaleza.

Como já aconteceu com Fausto Nilo, homenageado no ano passado, Evaldo ganhará um CD tributo, no qual serão incluídas, entre regrava- ções e inéditas, 20 melodias suas, com parceiros letristas do nível de Almeida Rêgo, Carlos Colla, Fausto Nilo, Jair Amorim e Paulo César Pinheiro.

“Lá vai meu bloco, vai”, título do disco, contará com a produção do percussionista Pantico Rocha, titular da banda do pernambucano Lenine. Os intérpretes convocados são contabilizados entre os já consagrados no Brasil, a começar pelo já citado Lenine, seguido de Elba Ramalho, Jane Duboc, Zé Renato, Leny Andrade, Dominguinhos e Sérgio Loroza, além dos grupos Bangalafumenga, Casuarina e Fino Coletivo.


O time alencarino, também incluído no álbum, não fica atrás, com uma seleção de novos nomes e veteranos da cena. Kátia Freitas, Marcus Caffé, Eudes Fraga, Waldonys, Liduina Lessa, a banda Breculê, a bateria bloco Unidos da Cachorra e o próprio homenageado, Evaldo Gouveia, estão garantidos. O dono da festa interpretará uma parceria sua com o compositor Jair Amorim, “Canto cearense”, a qual virá num pot pourri, emendada com “Esquinas do Brasil”, que tem palavras de Fausto Nilo.

Homenageado

No ano passado as homenagens da Prefeitura foram para o letrista Fausto Nilo, cujo álbum de recriações foi lançado recentemente pela Biscoito Fino, a celebração de Evaldo Gouveia em disco vai ser um pouco diferente. “Fico muito honrado por essa homenagem, principalmente por ser na minha terra, o Ceará. Só que, no disco, além das minhas músicas carnavalescas, como sambas e marchas ranchos, vamos incluir canções românticas e também três composições inéditas”, confessa Evaldo Gouveia.

Ele adianta que as músicas que serão registradas pela primeira vez e incluídas no álbum “Lá vai meu bloco, vai”. “Rancho da saudade” é uma canção feita com letra de Jair Amorim, que será cantada por Eudes Fraga; “Dançando forró”, a primeira feito com o estilo nordestino que tem palavras do carioca Paulo César Pinheiro, ficou sob a responsabilidade do sanfoneiro Waldonys; e o samba “Analista de boêmio”, dividida com o conceituado letrista Carlos Colla, marca a estreia de um nova cantora no cenário da MPB: a esposa de Evaldo, Liduína Lessa.

Sobre sua primeira gravação em disco, a companheira de vida e de música de Evaldo, Liduína, fala com carinho de sua participação no CD: “É uma honra muito grande também participar desse projeto importante na trajetória do meu companheiro. Eu já cantava muito em casa, e ele também me convidava para participar dos seus shows. Agora também vou fazer a minha estreia em disco, cantando um samba muito bonito. Não sou profissional, mais garanto que vou dar um bom recado, pois passei pelo crivo dele”.

Expectativas

Para o CD “Lá vai meu bloco, vai”, Evaldo Gouveia vai emprestar sua voz para uma faixa que terá duas composições suas. “Vou começar com ´Canto cearense´, minha e do Jair Amorim, uma homenagem para a minha terra. Depois, vou emendar com ´Esquina do Brasil´, que fiz com meu querido conterrâneo Fausto Nilo, música que já havia sido gravada por dois grandes intérpretes, o Jair Rodrigues e o Fagner”, relembrou o autor nascido em Iguatu.

Ele acrescentou que, sobre as atuais regravações já lançadas, inicialmente teve algumas reservas, mas, depois aceitou: “Quando ouvi a gravação de ´Alguém me disse´, com a Ana Carolina, primeiramente achei estanha. Depois percebi que é isso mesmo. É uma outra roupagem, feita por uma artista de outro tempo em que a canção foi criada”.

Quando fala especificamente sobre as regravações que serão incluídas em “Lá vai meu bloco, vai”, o compositor cearense concorda que pode ser uma retomada para que as novas gerações também conheçam suas criações. “É isso o que estou percebendo. Com esse disco vou trazer um novo público para o Evaldo Gouveia. No início do projeto eu estava meio chateado, pois não sabia muitas informações. Depois, com a pesquisa que foi feita com muita competência pelo Pantico, estou adorando. Já ouvi uma gravação com o Zé Renato e ele cantou muito bem o meu samba”.

Planos
Com o registro de suas canções em “Lá vai meu bloco, vai” Evaldo Gouveia também promete outra mudança para 2011 em sua carreira artística. “Espero que seja uma retomada para valer da minha trajetória de autor de canções. Com esse lançamento, espero me inspirar mais e voltar a morar em Fortaleza. Já começo ficando até o carnaval. Vou dar uma parada por aqui e pretendo fuçar também a minha terra, Iguatu. O povo cearense é muito carinho comigo e por onde passo sou reconhecido e me pedem autógrafos. Isso é muito importante para o artista”, contou o compositor, radicado no Rio de Janeiro.


Ainda com relação a gravação do CD, o compositor cearense fala de suas expectativas para este ano: “Quero deixar uma mensagem para que Deus me ilumine e desejo muita paz para todos e também prometo muita música nova, que é o que eu sei fazer. Com esse novo álbum lançado em minha terra, pretendo também futuramente fazer um grande show para gravar um DVD e vou convidar toda essa nova geração que está cantando as minhas músicas para participar comigo no palco”, agendou Evaldo Gouveia.


NELSON AUGUSTO

REPÓRTER DO DIÁRIO DO NORDESTE


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails